16/03/2017 - 12:26

Motoristas reclamam do risco de acidentes ao tentar desviar de buracos

Chuvas ampliam danos ao asfalto em vários pontos da cidade.

Autor: Aline Vasconcelos

Em períodos de chuvas, os buracos nas pistas das ruas e avenidas de Teresina se tornam um problema em potencial. O perigo se torna maior quando estes buracos chegam as pontes, visto o fluxo de veículos e a limitação de espaço para desviar das crateras.

Foto/Francisco Gilásio 

Na ponte que liga as regiões Sul e Sudeste da capital, próximo ao bairro Tancredo Neves, a situação é bastante complicada. Segundo o auxiliar administrativo Lucas Resende, os buracos parecem aumentar a cada dia. “Com o impacto dos carros, o buraco só cresce, e não vejo nenhum serviço de reparo aqui nesta ponte, faz até medo desviar e colidir com o veículo que vem na outra mão”, explica.

Aquela região recebe uma grande quantidade de veículos pesados, e por conta disso os usuários acreditam que o problema persiste. “Faz muito tempo que os buracos fazem parte desta avenida. A gente já viu aqui motociclista perder o controle, carro bater dentro e quebrar, enfim, muitos problemas”, ressalta a moradora da região Vânia de Castro.

Outra ponte que também passa pelo mesmo problema é a da Primavera. Lá, o problema é mais complicado porque as vias são mais estreitas. “Faz até medo desviar e invadir a mão contrária, aqui tem que tomar muito cuidado pra não bater em ninguém, sem falar na lentidão do fluxo que fica, porque para passar pelo buraco tem que reduzir a velocidade”, comenta o motorista João de Deus Damasceno.
 
Providências

De acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano e Habitação (Semduh), órgão responsável pelo recapeamento através do programa Tapa Buraco, cinco equipes trabalham diariamente em diversas zonas da cidade, cada uma aplica por dia cerca de 15 toneladas de asfalto, totalizando 75 toneladas. O órgão afirma ainda que já está ciente dos buracos na Ponte da Primavera e devem ser corrigidos nos próximos dias.

O valor de investimento na Operação é da ordem de R$ 600 mil oriundos do tesouro municipal. A secretaria informa que a população pode denunciar e solicitar o serviço através da Ouvidoria cujo número é (86) 3221-7050.

Já os buracos referentes à Avenida Getúlio Vargas são de competência do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit). Segundo o superintendente do órgão no estado, Paulo de Tarso, existe uma empresa contratada para reparar danos como estes, “a empresa faz a manutenção da via e nós já estamos cientes do caso e já encaminhamos a demanda para a empresa responsável, provavelmente nos próximos dias o problema está resolvido”, comenta.
 
Prejuízos nos carros são altos

Para quem já teve seu veículo danificado por conta de problemas como este, relata que além do prejuízo ficou também o alerta ao dirigir pela cidade. O mecânico Airton Pajé, proprietário de uma oficina na zona Sul da capital, conta que a o número de carros que chegam até ele com problemas por ter caído em buracos são enormes. “O problema mais comum é danificar a suspensão, dependendo da gravidade pode atingir também os amortecedores, para-choques e até mesmo o motor, o prejuízo para um carro popular por exemplo é de até R$1.400”, reitera.


Fonte: Diário do Povo