18/05/2017 - 09:44

Estações do metrô estão cheias de mato e lixo

Usuários reclamam também da estrutura.

Autor: Mariana Viana

Usuários do metrô de Teresina reclamam da grande quantidade mato próximo às estações do transporte público. No bairro Dirceu II, zona Sudeste da capital, o matagal tem quase mais de 90 cm de altura, segundo informações de populares. Além disso, a sujeira toma de conta do local, que acumula sacolas velhas, latas de refrigerante vazias e até animais mortos.

Foto/Francisco Gilásio 

José Maria Lopes, morador do bairro, diz que decidiu, por conta própria, limpar parte da sujeira e até aproveitou a área para plantar algumas sementes de milho e feijão. “Eu fiz isso para evitar que o mato se espalhasse. Mas, com relação ao lixo, não tem jeito. Todo dia as pessoas sujam a estação e a Companhia Metropolitana faz tempo que não limpa”, afirma.

Sobre a sujeira das estações, a Companhia Metropolitana de Transportes Públicos (CMTP) informa que o trabalho de limpeza é feito semanalmente. E que, neste mês, o serviço de capina foi intensificado devido ao período chuvoso que fez com que a vegetação crescesse rapidamente.
 
Reforma

Outra reclamação constante dos usuários do metrô é sobre a precariedade das estações e do trem. “As estações são todas velhas, com peças enferrujadas. Do mesmo jeito está o trem: com os assentos velhos, partes enferrujadas, parte elétrica danificada... Além disso, as portas quase sempre estão abertas, o que oferece risco para os passageiros”, reclama Marcela Fernandes, usuária do metrô de Teresina.

Foto/Francisco Gilásio 

Em 2016, o presidente da Companhia Metropolitana de Transporte Público (CMTP), Antônio Sobral, comunicou que a Secretaria do Tesouro Nacional tinha autorizado o Governo do Estado do Piauí a solicitar um empréstimo de R$ 215 milhões para ampliação e modernização da estrutura do metrô de Teresina. Tal projeto prevê a revitalização da linha já existente, recuperação dos trilhos e dormentes; modernização do sistema elétrico, sinalização e comunicação e o fechamento de toda a faixa metroviária.

No entanto, até o momento, nenhuma reestruturação foi realizada. De acordo com informações da CMTP, a execução do projeto depende da autorização do Governo do Estado. Enquanto isso, a Companhia faz o trabalho rotineiro de manutenção das linhas.


Fonte: Diário do Povo