07/12/2017 - 16:13

Corredores de ônibus de três avenidas começam a funcionar ainda em 2017

A previsão é que em 2018 todas estarão funcionando

Autor: Claryanna Alves

O projeto de melhorias no transporte público de Teresina pode avançar mais ainda neste fim de ano. No mês de dezembro está prevista a entrega de algumas estações nos corredores exclusivos de ônibus. As estações das avenidas Barão de Castelo Branco, Henry Wall de Carvalho e trecho da Miguel Rosa já estão em fase de finalização.

“A medida que as estações forem entregues, já serão utilizadas pelos ônibus para dar celeridade nas melhorias do transporte público. Como as construções dessas estações iniciaram em períodos diferentes, serão entregues por parte. Assim que concluídas, serão entregues. Mas em 2018 todas estarão prontas. A da avenida Gil Martins foi uma das últimas a começar as obras e tem previsão de entrega em maio de 2018”, explica a engenheira da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), Adelia de Melo.

Uma das medidas encontradas dentro do projeto de melhorias do transporte público para dar agilidade e evitar transtornos aos motoristas dos ônibus e aos demais foi a criação e implantação dos corredores e as faixas exclusivas.

As estações de passageiros diferenciadas foram implantadas nesses corredores. Localizadas no canteiro central das principais avenidas de Teresina, elas serão totalmente climatizadas e terão seu espaço físico aumentado consideravelmente. “As estações são similares. Elas serão climatizadas e seguras, abrigando os passageiros do sol, da chuva e do calor. Todas terão faixa de pedestres favorecendo o acesso seguro à estação”, conta a engenheira.

Ainda de acordo com Adelia, o diferencial entre as estações são quanto ao acesso dos ônibus. “Elas têm entre 35m e 45m de comprimento. O suficiente para receber uma boa quantidade de passageiros e a quantidade necessária de ônibus. A distância entre uma e outra é de 500m. Na Miguel Rosa, existem duas mais próximas que receberão uma os ônibus Bairro-Centro e a outra, Centro-Bairro. Em outras estações, os Bairro-Centro serão acessados por um lado e os Centro-Bairro no outro”, diz.

Sistema de Integração visa reduzir percursos e tempo de espera

Atualmente, Teresina possui 470 ônibus, destes, 442 circulando e os demais são para reposição em algum caso emergencial. O grande problema do transporte público da capital ainda é o tempo de espera nas paradas de ônibus e o grande percurso que algumas linhas ainda fazem. O Plano de Mobilidade Urbana está propondo, através do sistema de integração, a redução destes percursos e do tempo de espera.

O sistema, que é inspirado no modelo de Curitiba (PR), o primeiro sistema de integração desenvolvido no mundo e que serve como modelo para diversos países, é dividido e organizado em linhas que levam os usuários dos bairros para os terminais e dos terminais para o Centro, local onde hoje se concentra a maior quantidade de linhas.

Dados da Strans revelam que pelo menos 80% da movimentação dos veículos automotivos de Teresina é em direção ao Centro. O crescimento do comércio em regiões como o Parque Piauí, na zona Sul; Dirceu, na zona Sudeste, Santa Maria na zona Norte e o Jockey, na zona Leste, faz com que a cidade se modifique, proporcionando assim a ida do cidadão em uma linha direta de seu bairro para a outra zona, necessitando assim de mais agilidade e conforto.

O novo sistema segue o modelo de linhas 'tronco-alimentadoras', quando os usuários pegam um ônibus em seus respectivos bairros e se deslocam até um Terminal mais próximo. Dos terminais, eles pegam outro ônibus, as chamadas de 'linhas troncais', com destino ao Centro da capital, passando por diversas vias ou pelos shoppings.

A origem e destino dos ônibus serão descritos através de uma numeração que será exibida no veículo. Francisco Nogueira explica que, especificamente no Terminal do Bela Vista, essa numeração será da seguinte forma: A731 ou T731. O “A” e o “T” significam que as linhas não Alimentadoras (bairros/terminais) e Troncais (terminais/centro), respectivamente. 7 corresponde ao Terminal, nesse caso, o Terminal do Bela Vista recebeu essa numeração, serão oito no total. E 31 é a via por onde ele fará o percurso, nesse caso ele passará pela avenida Miguel Rosa. “As informações destas numerações estarão disponíveis nos próprios terminais e pessoas treinadas estarão nos locais para tirar dúvidas e orientar a população”, conta o diretor de transporte público da Strans, Francisco Nogueira.

Nogueira destaca que esta mudança no sistema contribuirá para desafogar o trânsito no Centro da cidade e diminuirá o tempo de espera. “Se geralmente o passageiro fica uma hora esperando um ônibus, esse tempo deverá reduzir até meia hora. Os ônibus se utilizarão das estações, que também estão sendo construídas, assim como as vias expressas. Os únicos obstáculos serão os semáforos. Isso ajudará a reduzir o tempo no percurso”, diz.

As estações ficarão nos canteiros centrais das avenidas Miguel Rosa, Barão de Gurgueia, João XXIII, Presidente Kennedy e Frei Serafim, com estrutura de climatização e acessibilidade. Ainda falta ser entregue à população outros cinco Terminais nos bairros: Buenos Aires e Rui Barbosa, que devem ser entregues no próximo semestre; Parque Piauí, no final do ano; e Piçarreira e Santa Isabel, no próximo ano.