19/05/2017 - 09:18

Comerciantes vivem apreensivos com medo de assaltos e arrombamentos

A área é considerada uma das críticas.

Autor: Mariana Viana

Comerciantes das ruas Riachuelo e Álvaro Mendes, no Centro de Teresina, afirmam que trabalham apreensivos devido à violência constante no cruzamento das duas vias. Segundo eles, a região é considerada crítica por causa dos assaltos a transeuntes e arrombamentos de estabelecimentos comerciais. 

Foto/Francisco Gilásio 

Em uma das lojas da rua Riachuelo, cujo proprietário não quis se identificar por medo de represália, há cinco câmeras de segurança. O curioso é que o local possui apenas 3m² (três metros quadrados), menos que um quarto considerado de tamanho médio. “Além das câmeras, por causa de um arrombamento que aconteceu do lado da loja, nós mandamos reforça a parede, colocar uma grade interna e alarmes”, afirma. 

Maria Ducarmo Silva, que trabalha na região desde 2011, reclama dos assaltos. “Está muito complicado trabalhar aqui. Quase sempre a gente vê pessoas sendo roubadas na rua. Recentemente, a vítima fui eu. Fui assalta e agredida às 7h30, na praça Pedro II, quando vinha trabalhar”, conta. 

Para ela, o local deveria ter mais policiamento. “Além de mais rondas, as chamadas de urgências deveriam ser atendidas. Acontece muito de ocorrer algo na rua, como briga com arma branca, a gente ligar várias vezes para a polícia e ninguém atende”, denúncia. 

Devido à insegurança, os comerciantes da região afirmam que as lojas ficam abertas somente quando todos os estão trabalhando. “Se um comerciante fecha, todos fecham simultaneamente, pois é uma forma de se proteger”, contam. 

José Reinaldo, empresário, denomina a região como “uma verdadeira cracolância”. No entanto, segundo ele, o grande problema não são os usuários de drogas. “Os ladrões que atuam aqui nem parecem bandidos. Eles andam arrumados, perfumados, formam um grupo de umas 15 pessoas, e seus alvos principais são os idosos que passam pelo Centro cedo da manhã”, conta.  
Para a Polícia Militar, a maioria dos assaltos é realmente realizada por usuários de drogas que vivem no Centro da cidade e que todos os acusados já foram presos pelo menos uma vez. 

Foto/Francisco Gilásio 

Rua Barroso 

Enquanto no cruzamento das ruas Riachuelo e Álvaro Mendes o problema são ladrões bem vestidos e o medo dos usuários de drogas, na rua Barroso, também no Centro, os comerciantes reclamam de um pedinte que, todos os dias, passa pelas lojas provocando, xingando e ameaçando os vendedores. Na manhã de ontem, a equipe de reportagem do Diário do Povo flagrou o pedinte mexendo com as pessoas que passavam pelo local. 


Fonte: Diário do Povo