05/12/2017 - 15:19

Capitão que matou namorada será expulso da Polícia Militar

O capitão Alisson Wattson confessou ter assassinado a tiros a jovem Camila Abreu

Autor: Manoel José

O coronel Carlos Augusto, comandante-geral da Polícia Militar do Piauí, disse que o processo administrativo movido pela corporação que visa à investigação da conduta do capitão Alisson Wattson, está próximo de ser concluído e certamente culminará com a expulsão do militar.

Ele é acusado e réu confesso de ter assassinado a tiros a estudante de Direito, Camila Abreu, no mês de outubro deste ano.

Segundo informou Carlos Augusto, o processo está bastante adiantado e outros casos parecidos já ocorreram dentro da corporação e culminaram com a expulsão dos responsáveis.

"As pessoas quando têm desvio de conduta, a medida é a da lei. A Polícia Militar cabe fazer o que tem sido feito. O processo está bastante adiantado e em todos os casos como este a polícia sempre optou pela expulsão. Não poderia antecipar, pois seria infração da minha parte", explicou o coronel em entrevista.

Em outra oportunidade, o secretário estadual de Segurança, capitão Fábio Abreu, disse que também defende e quer a expulsão do militar. Segundo ele, crimes como estes deverão ser punidos de acordo como determina a lei.

Abreu disse que a orientação aos delegados é de que eles tenham todas as peças possíveis para que o autor do feminicídio seja punido com rigor. “Temos que ter esse caso como exemplo de que não haverá nenhum tipo de impunidade. E a minha vontade é que ele seja expulso porque a Polícia Militar não pode ter em seus quadros uma pessoa com esse comportamento”, contou o secretário.

O crime

Camila foi morta com um tiro no rosto dentro do carro na madrugada de quinta-feira (26/09), após ter passado a noite em um quiosque na zona Leste de Teresina junto com o namorado e uma amiga.

Seu corpo foi encontrado na terça-feira (31), na região do Povoado Mucuim, após o posto da Polícia Rodoviária Federal, na BR-343, na zona rural de Teresina, já em estado de decomposição.

A jovem estava desaparecida desde quarta-feira (25). Os familiares de Camila Abreu passaram por momentos difíceis devido à ausência de informações. Acusado diz que o tiro foi acidental. O então namorado foi preso no mesmo dia em que o corpo foi encontrado. Ele se encontra no presídio militar do Quartel do Comando Geral.