31/01/2018 - 14:36

Disputas internas dividem a base e pressionam Wellington Dias

Discussões afunilam composição

Autor: Luciano Coelho

Dia 15 é a data limite para definição ou pelo menos uma sinalização do que vai ser a chapa majoritária da base do Governo. O PSD e o PTB têm prazo para definição dos rumos que vai seguir nas eleições de 2018. O PTB vai definir se continua na base ou parte para a oposição até o final de março. E o MDB e o Progressistas ainda disputam a vice-governadoria.

O deputado estadual Dr. Pessoa, apesar de estar no PSD, que faz parte da base do governo, anuncia uma pré-candidatura de oposição. Ele deu um prazo até o dia 15 de fevereiro para a executiva estadual do PSD para resolver a sua vida.

Existe um pré-acordo com o presidente estadual do PSD, deputado federal Júlio César, que se Júlio César for candidato a senador na chapa de Wellington Dias, Dr. Pessoa será candidato a deputado federal pelo PSD. Caso contrário, ele deve sair do partido e ser candidato a governador.

“Ele tem um compromisso com o partido até o dia 15, se o governador não decidir, vamos ter uma outra discussão. Essa pré-candidatura é uma avaliação do próprio Pessoa. Dissemos que o PSD é o partido que tem mais estrutura e mais tempo de TV, os demais são pequenos e terão dificuldades pela clausula de barreira”, comentou o deputado Júlio César

O PTB ainda deve definir a candidatura do ex-senador João Vicente Claudino até o final de março. Mas se for acompanhar esse projeto, vai ter que deixar o governo. Com isso, ficam quatro ao invés de cinco grandes partidos. Dessa forma, serão avaliadas quatro vagas na chapa majoritária para os quatro partidos. O natural seria que cada um ficasse com uma vaga. Mas tem partidos que defendem duas vagas como o PT que tem a vaga de governador e quer uma de senador. E o Progressistas que tem uma de senador e quer a vice-governadoria.