06/03/2018 - 08:54

Sistema de Segurança e de Justiça anuncia paralisação das atividades

Policiais civis farão assembleia geral no dia 15, no auditório do Centro de Artesanato

Autor: Luciano Coelho

Todo o sistema de segurança do Piauí anunciou paralisação das atividades ainda este mês. Os policiais militares marcaram assembleia geral da categoria para o dia 9, no Clube de Cabos e Soldados. Os policiais civis também anunciaram indicativo de greve a partir do dia 15, após a assembleia deles no auditório do Centro de Artesanato. E os agentes penitenciários também anunciaram que farão indicativo de greve.

O presidente da Associação dos Militares do Estado do Piauí (Amepi), Major Diego Melo, informou que a categoria se reúne no dia 9, às 16h, nos Cabos e Soldados, em assembleia para se posicionarem sobre uma mobilização dos militares, alegando que o governo do Estado não cumpriu o acordo de pagar o reajuste dos PMs, desde 2015.

“Os salários estão defasados e a inflação correu ainda mais. A nossa defasagem já tem três anos e o governo se nega a negociar conosco. Faremos essa mobilização com as operações sociais. Estamos em estado de necessidade”, adiantou o oficial Diego Melo.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Piauí (Sinpolpi), Constantino Júnior, disse que os policiais civis ainda vão recorrer ao Judiciário alegando que o Governo descumpriu um acordo judicial sobre o dissídio coletivo. Segundo ele, o acordo foi feito em 2015 prevendo reajustes salariais em 2016, 2017 e 2018 e nenhum deles foi cumprido.

A categoria reivindica que o governo cumpra o acordo feito durante o movimento no ano de 2015. Na época, o Estado pediu a ilegalidade do movimento junto ao Judiciário. “O acordo foi assinado pelos secretários Franzé Silva, Fábio Abreu e Rafael Fonteles. Agora vamos pedir o cumprimento do acordo, até porque, por se tratar de uma determinação judicial não tem restrições da Lei de Responsabilidade Fiscal. Tivemos uma audiência entre os representantes do Governo e o desembargador Raimundo Nonato da Costa Alencar para tratar do assunto e vamos pedir a execução do acordo”, explicou Constantino Júnior.

“Depois de três anos esperando que o governo honre com seus compromissos, entendemos que chegou o momento da categoria se manifestar politicamente com a realização de uma paralisação em todo o Piauí”, afirmou o presidente do Sinpolpi.

Com o movimento, o sindicalista informou que as delegacias vão deixar de fazer boletim de ocorrências e vai atender apenas casos excepcionais que envolvam crimes contra a vida, estupro, e crimes contra idosos, crianças e adolescentes.

O Sindicato dos Agentes Penitenciários também está em mobilização por paralisação, com assembleia geral marcada para o dia 20, a partir das 9h, na sede do sindicato, segundo o presidente José Roberto Pereira da Silva. Com isso, todo o sistema prisional e de segurança do Estado está com as atividades paralisadas ainda este mês.


Fonte: Jornal Diário do Povo