23/03/2018 - 09:21

Hospitais e clínicas vão suspender atendimento do Plamta em abril

Governo não cumpriu o acordo de pagamento

Autor: Luciano Coelho

O Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde e Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas do Estado do Piauí (SINDHOSPI) protocolou ofício junto ao PLAMTA cobrando o cumprimento imediato do acordo realizado em novembro de 2017, que previa o pagamento das faturas de outubro e novembro ano passado, além da regularização do prazo contratual.

Como o acordo não foi cumprido, o SINDHOSPI informa que os serviços serão paralisados a partir do dia 1° de abril; caso os pagamentos em atraso não sejam regularizados.

A rede de clínicas, hospitais e profissionais credenciados pelo Instituto de Assistência à Saúde do Servidor Público do Estado do Piauí (Iaspi) decidiram suspender os atendimentos de servidores públicos nos planos Iaspi Saúde e Plano Médico de Assistência e Tratamento (Plamta) por falta de pagamento dos procedimentos já realizados.

Anteriormente, o Sindhospi tinha dado prazo para que o pagamento dos procedimentos fosse realizado. Daí houve a negociação com o Governo do Estado. Foi realizada uma reunião na Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), com representantes do sindicato e a diretora-geral do Iaspi, Daniele Aita, quando foi proposto um cronograma de pagamento.

O plano Iaspi Saúde abrange atendimentos ambulatoriais e conta com 172 mil beneficiados no Piauí. O Plamta, voltado para internações, possui 200 mil cadastrados. Só a rede do Iaspi conta com 1.500 hospitais, clínicas e profissionais credenciados.

“Nós não temos alternativa, não temos como suportar esse atraso. A paralisação é para sobrevivência", acrescentou o presidente do Sindhospi, Jefferson Campelo.


Fonte: Jornal Diário do Povo