01/10/2017 - 15:59

Governo paga vítimas de Algodões após denúncia do Diário do Povo

Os recursos no valor de R$ 2 milhões foram encaminhados para a SASC

Autor: Marcelo Rocha

Após a denúncia veiculada no jornal Diário do Povo, da edição desta quinta-feira, 29, de que o governo do Estado não havia depositado a indenização das famílias vítimas do rompimento da Barragem Algodões, referente a sexta parcela, no valor de R$ 2 milhões, a secretaria estadual da Fazenda liberou os recursos na manhã de sexta-feira.

Os recursos no valor de R$ 2 milhões foram encaminhados para a Secretaria Estadual de Assistência Social e Cidadania, no período da manhã. À tarde, a pasta comandada pelo deputado Zé Santana enviou o dinheiro para o Banco do Brasil.

Advogado Antônio Carlos Galli  Foto: Divulgação

A previsão é que na segunda-feira, dia 2, seja iniciado os depósitos para as contas das centenas de famílias. Os pagamentos devem ser concluídos na terça-feira.

Devido ao atraso no cumprimento da decisão judicial de pagar as vítimas da Barragem Algodões até o dia 25 de cada mês, com que as famílias se mobilizassem para estar em Teresina nesta segunda-feira. Iriam fazer uma visita ao Palácio de Karnak e ao Tribunal de Justiça do Piauí.

Mesmo com a informação de que o dinheiro da indenização das centenas de famílias que foram atingidas no caso da Barragem de Algodões foi liberado ontem, GP1o presidente da Associação das Vítimas da Barragem de Algodões (ABAVA), Corsino Medeiros dos Santos, está preocupado com o pagamento da sétima parcela de R$ 2 milhões que deve ser paga até o dia 25 de outubro.
Corsino dos Santos informou que nesta segunda-feira o advogado das vítimas irá conversar com representantes do governo estadual e solicitar que a decisão judicial não seja descumprida. O presidente da ABAVA tem receio de que quando chegar o prazo final do pagamento, no dia 25 de outubro, a situação se repita.

A barragem rompeu no dia 27 de maio de 2009. E somente em abril deste ano foi que o governo estadual iniciou o depósito nas contas da vítimas. O acordo firmado entre as famílias e o governo estadual foi de uma indenização de 70 milhões de reais, parcelada em 30 meses. Cada mês o governo Wellington Dias deve depositar 2 milhões de reais para as famílias.