versão para impressão

Matéria publicada: 17/07/2017 - 10:20

Serviço de acolhimento melhora vida de crianças afastadas da família

O cadastro das famílias acolhedoras acontece através de demanda espontânea ou busca ativa.

Autor: Capital Teresina

Amorosa, comunicativa e brincalhona, a pequena Maria*, de quatro anos, faz a alegria da casa da nutricionista Laura* e nem lembra mais a criança triste e com dificuldade de comunicação que era há quatro meses. A mudança ocorreu depois que ela foi inserida no serviço Família Acolhedora, desenvolvido pela Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

A nutricionista conta que procurou o serviço da Prefeitura porque sempre teve vontade de ajudar uma criança, de alguma forma. “Não tenho filhos e, como não quero adotar, achei no Família Acolhedora uma oportunidade de viver essa experiência,” explica. “Essa criança mudou a rotina de toda a família para melhor. Hoje me vejo como uma mulher mais forte e paciente. Me sinto mais completa em ter essa responsabilidade de cuidar de uma criança, principalmente em saber que meu carinho e cuidado serão importantes para o desenvolvimento dela”.

O Família Acolhedora, implantado em 2016, é um serviço que acolhe, em residências de famílias, crianças e adolescentes  afastados do convívio familiar por meio de medida protetiva, em função de abandono ou porque às famílias encontram-se temporariamente impossibilitadas de cumprir com sua função de cuidado e proteção. O período em que os acolhidos passam com as famílias cadastradas varia de acordo com a gravidade de cada caso, mas tempo mínimo é de seis meses.

Para Michelly Batista, coordenadora do Família Acolhedora, o serviço tem alcançado resultados positivos, especialmente, para as crianças. “Ao conviver com famílias que estão dispostas a ceder afeto e carinho, mesmo por tempo determinado, e com o acompanhamento da equipe técnica do serviço, os acolhidos têm a oportunidade de mudar uma realidade imposta por uma situação alheia à vontade deles”, ressalta. O cadastro das famílias acolhedoras acontece através de demanda espontânea ou busca ativa pela equipe do projeto.

Para se cadastrar no serviço, as famílias precisam cumprir alguns requisitos como: residir em Teresina; ter disponibilidade afetiva; não apresentar problemas psiquiátricos; não ser dependente de substâncias psicoativas e não possuir antecedentes criminais. Ao iniciar o processo, a família acolhedora passa por uma capacitação, recebe visita domiciliar de psicólogos e assistentes sociais e recebe informações sobre a metodologia do projeto. Cada família recebe, a título de ajuda de custo, uma bolsa de R$ 500,00 por mês para cada criança e/ou adolescente acolhido.

O secretário da Semcaspi, Samuel Silveira, diz que Programa Família Acolhedora é uma importante ação da Prefeitura de Teresina. “ É uma iniciativa que permite  muitos benefícios, principalmente porque possibilita aos  adolescentes um atendimento individualizado considerando todas as suas necessidades”, ressalta.

O serviço de acolhimento temporário da Semcaspi funciona na rua Pereira da Costa, 336, Bairro dos Noivos, no horário das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira. O telefone para contato é o 3234-1652.


Fonte: Ascom