versão para impressão

Matéria publicada: 13/03/2018 - 17:08

Biometria obrigatória em 32 municípios paulistas têm atendimento abaixo de 70%

O processo de cadastramento, na maioria dos municípios, começou em março do ano passado

Perto do encerramento, o prazo para o cadastro biométrico eleitoral, nas 84 cidades paulistas que terão a obrigatoriedade nas eleições deste ano, ainda não foi suficiente para muitos eleitores. Do total de municípios, 32 estão com percentual abaixo de 70%, segundo levantamento do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP).

O processo de cadastramento, na maioria dos municípios, começou em março do ano passado e deve se encerrar no dia 27 deste mês. Em nove municípios (Guarulhos, Votorantim, Sorocaba, Araçoiaba da Serra, Salto de Pirapora, Botucatu, Itatinga, Pardinho e Várzea Paulista), o prazo ainda é mais curto, acabando no dia 23.

Com esse déficit, mais de 390 mil eleitores, cerca de 32,76% do eleitorado que é obrigado a ter cadastro digital, podem ter o título cancelado, caso não façam o procedimento. O estado de São Paulo tem 645 municípios.

Os eleitores de Guarulhos estão entre os que precisam fazer o cadastro biométrico para votar em 2018. O município é o segundo maior colégio eleitoral do estado, com 936.689 eleitores. Os números da cidade, no entanto, preocupam o tribunal, pois apenas 67,91% dos votantes fizeram a biometria.

De acordo com o TRE, São Paulo tem 32,9 milhões de eleitorais, dos quais 38,86% já fizeram a coleta da digital. Mais de 61%, cerca de 20 milhões de pessoas, no entanto, ainda não atenderam à convocação para o cadastramento. Acesse aqui a lista dos municípios com biometria obrigatória em São Paulo.

Posto na Alesp

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) conta com um posto para cadastramento biométrico eleitoral desde hoje (13). Na capital paulista, a obrigatoriedade da leitura digital não vale para as eleições de 2018. Segundo o TRE-SP, ainda não está definido o pleito em que esse mecanismo começará a ser utilizado.

“É mais um ponto para a gente poder ampliar e facilitar a vinda do eleitor à biometrização. Trata-se de um grau de transparência muito grande para o cadastro eleitoral, permitindo que ele corresponda exatamente ao nosso eleitorado e traga segurança, eliminando antigos vícios”, declarou o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), desembargador Cauduro Padin.

Diferentemente de outros postos de atendimento do TRE na capital, a unidade da Assembleia não precisa de agendamento prévio.

“Esse posto não faz o cadastramento apenas da cidade de São Paulo, mas serve a todos os 645 municípios do estado. Quem estiver passando por aqui [pela Assembleia] pode fazer a biometria de maneira rápida e simples”, disse o presidente da Alesp, deputado Cauê Macris. Ele informou que, diariamente, cerca de 2 mil pessoas passam pela assembleia.


Fonte: Agência Brasil