13/01/2014 - 08:55

Entrevista: Floro Mauel conta sobre sua página no Facebook "Temos Vagas"

Muitas ideias boas não vão para frente porque as pessoas acham que não tem tempo ou que é loucura

Autor: Claryanna Alves

Floro Mauel Almeida Probo é estudante do curso de Jornalismo na Universidade Federal do Piauí. Já participou do Diretório Central dos Estudantes (DCE-UFPI), no qual disse ter nascido o seu interesse em transformar a realidade das pessoas. Em 30 de outubro de 2012, Floro criou a premiada página no Facebook “Temos Vagas!”, pela qual divulga oportunidades de vagas e, hoje, tem mais de 8 mil curtidas.

Sobre o empreendorismo encabeçado por ele que considera inovador, ele diz: "Acredito que muitas ideias boas não vão para frente porque as pessoas, às vezes, acham que não têm tempo ou pensam que é loucura, mas se elas colocassem essas ideias em prática, poderiam ajudar a vida de muita gente. A nossa intenção real é essa; ajudar".

Foto: Gabriel Tôrres/CT

Capital Teresina: Floro, você já participou do movimento estudantil na Universidade que tem o objetivo de auxiliar na interação do estudante com a instituição. Foi daí que nasceu a ideia de criar algo para auxiliar na entrada dos jovens no mercado de trabalho?

Floro Mauel: A ideia surgiu desde a época que eu entrei na universidade, que eu fui apresentado às instâncias, fossem elas estudantis ou de docência. Depois que eu comecei o meu curso de geografia, em 2006, [aqui] na universidade, tive contato com o movimento estudantil. No meu ensino médio não tive essa vivência, era mais focado em estudar, estudar e pronto. E, na UFPI, foi a oportunidade que tive para conhecer e me aprofundar no movimento estudantil. Já no primeiro ano de curso, participei do centro acadêmico de geografia. Nesse mesmo ano disputei a eleição do DCE, mas perdemos. E no outro ano que concorremos, ganhamos.

Dentro do DCE nasceu aquele sentimento de estar mudando, transformando a realidade do meio do qual você vive. Um dos grandes problemas que existiam naquela época, e ainda é recorrente, é que quando a pessoa sai da universidade, ela deixa de ser estudante e passa a ser desempregada. Eu sempre gostei muito de usar a internet, de pesquisar, de ler coisas interessantes e, dentro disso, quis fazer alguma coisa boa, que resultasse em algo bacana. Foi dentro do preceito da questão do emprego, que vi uma ferramenta que poderia ser usada para contribuir para o bem estar das pessoas e melhorar suas vidas.

 

CT: Quando você criou a Temos Vagas? E qual o principal público da página?

Floro Mauel: Eu criei em 30 de outubro de 2012. Tem o grupo, a página e o perfil. O grupo tem mais de 50 mil membros. A página, cerca de 8 mil curtidas e o perfil tem uns 5 mil amigos adicionados mais os seguidores. Um dado da página diz que os maiores usuários do grupo têm entre 18 e 34 anos. Semanalmente são ofertadas uma média de 100 vagas.

 

CT: As pessoas que conseguem emprego te retornam com agradecimentos?

Floro Mauel: Uma política do grupo é que quando uma pessoa consegue emprego, pedimos para ela dar um retorno a fim de estimular e incentivar os demais. Muita gente já conseguiu e não coloca. Mas já fiz um levantamento dos que agradecem, deve dar umas 70 pessoas que conseguiram e deram retorno. Também tenho muitos amigos que já conseguiram, mas nunca deram retorno. Muita gente também entra na página porque quer um emprego melhor ou está procurando emprego para um amigo, para um irmão, para a mãe.

Foto: Gabriel Tôrres/CT

CT: Recebe muitas reclamações?

Floro Mauel: As pessoas reclamam também. Por exemplo, quando aparece uma vaga para assessor de imprensa e o salário é de R$ 900, aí falam, por exemplo, “não paga nem o piso. Deus me livre que vou para essa empresa!”. Não tem um grande volume de reclamações, mas aparece sim.

 

CT: Depois de todo o sucesso já alcançado, as empresas já te procuram para divulgar suas vagas?

Floro Mauel: Elas me enviam a vaga. Não sei porque fazem isso, acho que talvez elas queiram se preservar. Essas empresas poderiam publicar no próprio grupo, mas elas me enviam e eu publico. Já as empresas de RH procuram elas mesmas publicar, até porque atraem público para elas. Quando publicam, a página acaba sendo uma vitrine, as pessoas vão se familiarizando com a empresa. Então, essas de RH preferem publicar diretamente no grupo. Já é um meio direto de interação entre as pessoas que procuram emprego e a empresa.

 

CT: Dando uma olhada no Temos Vagas!, percebi que não existem apenas oportunidades de emprego, mas publicações de aperfeiçoamento profissional. Você também considera isso algo importante?

Floro Mauel: Nós temos uma política nova na qual para todo curso que for pago, exigimos uma bolsa para sortear no grupo. O curso gratuito, pode publicar tranquilamente, sem restrição nenhuma. Mas quando é pago, falamos com o organizador e negociamos uma bolsa para ser sorteada no grupo. Uma vez que usamos os aplicativos da rede social, que são direcionados para curtir a nossa página, acabamos atraindo mais público para o Temos Vagas! e para o curso. Temos ainda dicas para entrevistas e algumas informações sobre leis trabalhistas. Agora estou querendo inovar e colocar uma consultoria gratuita. Iríamos criar uma postagem e, nesta postagem, um advogado especialista em direito do trabalho colocaria algumas informações. Quando alguém tivesse uma dúvida, poderia lhe enviar um e-mail e avogado responderia.

CT: Há também posts de ação social. Você usa a popularidade da página para ações nesse sentido?

Floro Mauel: De vez em quando também aparecem. Como foi o caso de um rapaz que precisava de doação de sangue. A página, nesse caso, serviu para ajudá-lo em outro sentido. Foi usada a popularidade da página para uma ação social. A página está disponível para ajudar as pessoas que estão precisando de algo. Estamos pensando e criar um outro post fixo dentro da página, que seria algo como “Reclame sua cidade”, aonde as pessoas poderão levar suas insatisfações sobre o que acontece na cidade e, quem sabe, isso pode ir pra frente e ter alguma solução. O que pode contribuir até mesmo para o meio jornalístico, com a sugestão com pautas. Isso irá agregar mais a página e fazer com que ela cumpra com a sua função de ajudar as pessoas.

 

CT: A página está conquistando outros objetivos ou direcionando focos além de divulgar vagas de emprego?

Floro Mauel: Não, o objetivo inicial é a divulgação de vagas de emprego. Só que, eu acho que fica muito resumido para o tamanho que ela é. Então, acredito que, uma vez que ela ganhou essa dimensão, pode contribuir muito mais com a sociedade, pois, de alguma forma, as pessoas podem levar os seus problemas e serem ouvidas.

 

CT: A Temos Vagas! Foi indicada ao Prêmio Interaje 2013 e ganhou. O que trouxe de bom para a página?

Floro Mauel: Nós fomos indicados para três categorias, que foram: Fã Page do Ano, Ideia Inovadora e Star Up do Ano. Nós fizemos uma campanha massiva, pois seria algo legal para nós e até foi uma orientação que nos foi dada pelos organizadores do Prêmio. Já, lá mesmo no Interaje, recebemos propostas de trabalhar em parceria, de ficar como uma empresa “incubada” para ter experiência junto com a prefeitura de Teresina. Mas isso é só uma ideia.

Foto: Gabriel Tôrres/CT

CT: O Temos Vagas! terá alguma inovação?

Floro Mauel: O grupo vai ser sempre gratuito, mas queremos criar algo que nos faça ganhar ‘grana’, só que seria das empresas e de propaganda. Nós vamos criar o site Themos Vagas!. Lá, a nossa ideia é, além de ter um diferencial da página do Facebook, é ganhar com propaganda. Assim, podemos nos dedicar integralmente a ela.

 

Foto: Gabriel Tôrres/CT