13/07/2017 - 11:07

Banda Vênus abre caminhos para o rock no Piauí

Em homenagem ao Dia do Rock, 13 de julho, esta edição relembra a história da Vênus.

Autor: Thauanna Cavalcante

Hoje, 13 de julho, é comemorado o Dia Mundial do Rock. Um estilo que se popularizou no mundo inteiro e hoje agrada milhares de pessoas. Em homenagem à data, esta edição relembra a história da banda piauiense Vênus, que gravou o primeiro disco de heavy metal do Nordeste, abrindo as portas deste cenário para outros artistas da terra.

Foto/Divulgação 

A Vênus surgiu em 1982 e rompeu a barreira do silêncio alternativo que existia na pacata Teresina. O primeiro disco do grupo foi lançado em 1986 e no ano seguinte chegou a tocar no Theatro 4 de Setembro, que abominava espetáculos de rock na casa. “Nós fizemos os primeiros shows em cima de um caminhão, pois não havia muitos espaços para tocar. A sociedade da época também não aceitava que uma banda de rock tocasse no Theatro 4 de Setembro”, diz Thyrso Marechal, que faz parte da banda como guitarrista e foi responsável pelo vocal das músicas presentes no primeiro LP. 

Junto com ele tem ainda Carlos Pincel, Francisco “Kinha”, João Filho e Ico Almendra. Depois de 30 anos, o grupo subiu novamente aos palcos no B.B.Rock, um evento de rock da capital que reuniu diversas bandas.  

Lá no começo de sua trajetória, a banda não imaginava que entraria para a história do rock'n roll do Piauí. Mas antes de ser reconhecido, o grupo passou por inúmeras dificuldades, dentre elas, problemas técnicos e estruturais, acesso à música e preconceito. “Nossa primeira grande dificuldade foi a técnica. Não se comprava facilmente equipamentos importados e os nacionais eram ruins, a outra era o acesso à música, se as pessoas quisessem adquirir o produto, tinham que ir nas lojas comprar e por fim o preconceito também era grande. O Piauí era atrasado neste aspecto”, comenta Thyrso.

Atualmente, o guitarrista reconhece que o rock no Estado é bem mais conhecido e as bandas tem mais oportunidades de mostrar seu trabalho. “A geração mais nova cresceu dentro de outra realidade. Hoje tudo é mais fácil e as oportunidades também são melhores”, conclui Thyrso Marechal. 

Júlio Baros, vocalista e guitarrista da banda V-Roud, com cinco anos de estrada, confirma isso. Ele acredita que nos últimos anos o cenário melhorou bastante, principalmente, devido a maior quantidade de festivais e de produtoras. “Além desta realidade, eu acredito que quem faz um trabalho com afinco, de qualidade, tem espaço sim na capital”, destaca.

A V-Road é uma banda de rock alternativo e segue a clássica formação de bandas de rock com quatro componentes, com Júlio Baros (guitarra e vocal), Roni Vieira (guitarra), Lucas Dourado (bateria) e Mauro Oliveira (baixo). O grupo tem um álbum lançado, "Wings Of A Screamer”, e deve lançar o próximo em agosto deste ano. 

Além das duas bandas citadas, Teresina tem hoje centenas de grupos que compõem a cena do rock. Elas estão espalhadas por todos cantos, mostrando seu trabalho em projetos culturais, festivais e outros eventos que acontecem na cidade. 

Dia do Rock

A data do Dia Mundial do Rock foi escolhida nos anos 90 em homenagem ao Live Aid, evento que aconteceu na Inglaterra em 1985, e só é celebrada no Brasil, desde quando duas rádios paulistanas dedicadas ao estilo, a 89FM e a 97FM, começaram a mencioná-la em sua programação. Tendo a aceitação dos ouvintes, em poucos anos a data passou a ser popular em todo o país, mesmo não sendo reconhecida pelo resto do mundo.


Fonte: Diário do Povo