09/01/2018 - 15:08

Professores não iniciarão o ano letivo se o governo não pagar piso

Assembleia acontece amanhã no clube do Sinte

Autor: Luciano Coelho

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Piauí (Sinte-PI) fará uma assembleia geral amanhã (10), a partir das 10h, no Clube do Sinte, para discutir o pagamento do Piso Salarial de 2018. Na pauta, eles avaliam um movimento de paralisação e ameaçam não iniciar o ano letivo.

A direção do Sinte-PI informou que a data-base para os trabalhadores em educação é em janeiro, quando o piso nacional do magistério é reajustado. O índice anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) para 2018 é de 6,81%. O salário dos professores vai para R$ 2.455,00.

De acordo com a presidente do Sinte-PI, Paulina Almeida, “a pauta de reivindicação dos trabalhadores em Educação foi encaminhada para o governador ainda no mês de novembro de 2017. Nós vamos lutar para garantir o reajuste de 6,81% linear para todos os trabalhadores em educação”, disse.

O Sindicato está convocando toda a categoria para participar da assembleia geral. Além do piso, devem ser discutidas outras pautas como o reajuste das gratificações, reformulação do Plano de Carreira da categoria e reafirmar o compromisso do governo no pagamento da segunda parcela do reajuste de 3,14% dos funcionários de escolas referente ao ano de 2017.

Paulina Almeida ainda tem expectativa do governo pagar o piso integralmente. Ela espera que o governador chame os representantes da categoria para conversar antes da assembleia geral. E esperam ainda a implantação do aumento de 3,14% dos administrativos na folha de janeiro.

Ela confirmou que os trabalhadores em educação devem analisar a possibilidade do não pagamento, e, nessa condição, a categoria deve fazer um indicativo de greve, e assim, não iniciaria o ano letivo previsto para começar no mês de fevereiro.