01/10/2017 - 16:32

Figura da mulher é destaque em mais uma edição do Salve Rainha

A primeira Rainha do mês de outubro e a penúltima da temporada convida a pensar no ciclo da vida

Autor: Thauanna Cavalcante

O coletivo cultural Salve Rainha iniciou em setembro a Temporada de Primavera, que se instala na praça Saraiva, uma das principais praças da cidade. Neste domingo, dia 1º, às 16h, acontece mais uma edição do projeto, desta vez, dando destaque à figura da mulher, com a Rainha das Flores.

A primeira Rainha do mês de outubro e a penúltima da temporada convida a pensar no ciclo da vida, na fertilidade, na fragilidade e na força que se contrapõe nos seres. “O Ensaio de Primavera deste ano veio em busca de reforçar os conceitos básicos do Salve Rainha. Acredito que essa temporada reforça os nossos conceitos e é uma oportunidade de nos reinventarmos desde o momento que deixamos de ser Ensaio para ser Temporada”, afirma Camila Fortes, integrante do Coletivo Salve Rainha.

Foto: Divulgação

Nesta edição, o coletivo traz mais uma vez uma atração nacional: Karina Buhr. A cantora, compositora, ilustradora, percussionista, poeta e atriz vem apresentar o Sarau Desperdiçando Rima, espetáculo de poesia e música baseado no livro homônimo. Acompanhando a performance, na Galeria do evento ainda haverá uma exposição assinada pela cantora.

“Ter a oportunidade de trazer uma atração nacional cujo trabalho a gente admira tanto, como a Karina Buhr, é uma demonstração de que esse tempo de dedicação vem dando frutos, o que nos motiva mais ainda a continuar. Vemos esse momento também como um presente para o público, que nos apoia e nos acompanha em todas as ocupações, tornando esse sonho possível. Esperamos ainda que a Karina curta a vinda à nossa cidade e o público teresinense”, relata Maria Clara Paz, também, integrante do Coletivo Salve.

O Salve Rainha conta com Feira Sobrenatural, galeria, roda de conversa e shows. Além da atração nacional, no palco da praça Saraiva passará as atrações locais, Dubben e Monise Borges e banda. A roda de conversa é intitulada ‘’Salve Todas! Viemos Devolver Suas Flores’’ e a Feira Sobrenatural conta com mais de 20 opções de artigos.

 

Temporada de Primavera

A Temporada de Primavera acontece em uma sequência de quatro domingos, entre os meses de setembro e outubro, buscando dar visibilidade e ressignificar o espaço da praça que ainda se mantém ocioso e subutilizado fora do horário comercial da cidade. O coletivo ainda destaca que o objetivo também é pensar na manutenção desses locais, criando ambientes sociais de interação.

‘’Os eventos que aconteciam há décadas atrás se perderam no tempo e hoje, quem passa pela praça Saraiva, não consegue mais enxergar a sua riqueza história e foi por isso que o coletivo escolheu para ser o local da Temporada de Primavera. Precisamos valorizar o que a nossa cidade já nos oferece e reviver aquele lugar que está marginalizado com novas histórias, movimentos e alegrias ’’, diz Renata Reis, presidente do Coletivo Salve Rainha.

No domingo passado, dia 24, a praça recebeu a Rainha Tombada, que chamou a atenção para o patrimônio histórico e cultural da cidade. No local, um ensaio fotográfico trouxe à tona os casarões esquecidos fazendo referência à ocupação da Temporada na Praça e mesclando toda a história do Coletivo pelos lugares do Centro que já passou. (T.C)um único espaço diversos segmentos de arte. “Além do palco, tem as exposições, feira, ensaio fotográfico e muito mais. O coletivo reúne o que é a cultura em um único local e nós da FCMC estamos sempre apoiando quem faz e valoriza a cultura local”, disse.


TRÊS ANOS DE SALVE RAINHA

O coletivo Salve Rainha também está completando três anos de atuação em Teresina. O movimento é caracterizado como um estudo, uma tecnologia social de valorização do patrimônio cultural de Teresina, feito por pessoas que colaboram de modo voluntário para elaboração de um projeto que contemple feira, galeria de arte e espaço para apresentações e performances.

O grupo já passou pela Praça Ocílio lago, Calçadão da Rua Simplício Mendes, Rua Climatizada, antiga Sede da Câmara Municipal, região abaixo da Ponte Juscelino Kubitschek (na margem da Av. Marechal Castelo Branco e Parque da Cidadania). Durante este tempo de existência, foram mais de 140 atrações musicais, mais de 240 exposições artísticas e 220 micro empreendimentos e mais de 3.000 pessoas por domingo.

De acordo com o presidente da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, Luis Carlos Alves, o coletivo é um evento que reúne em um único espaço diversos segmentos de arte. “Além do palco, tem as exposições, feira, ensaio fotográfico e muito mais. O coletivo reúne o que é a cultura em um único local e nós da FCMC estamos sempre apoiando quem faz e valoriza a cultura local”, disse.