09/01/2018 - 16:32

Número de moscas aumenta durante período de chuvas

O ideal é evitar o contato das moscas com os alimentos

Autor: Claryanna Alves

No início do período chuvoso é comum o aparecimento de moscas e outros insetos. Com esse aumento, associado a outros fatores, faz com que os casos de infecções intestinais também aumentem em pacientes que procuram os hospitais.

Para evitar problemas, Pedro Sales Neto já se previne utilizando produtos que atraem e prendem as moscas. “Como moro em uma área com muitas árvores, nesta época do ano eu já me cuido. Compro nessas lojas comuns o remédio para mosca. A mosca é atraída pelo produto, cai e fica aí. Isso evita que elas encostem nos alimentos”, relata.

A coordenadora de alimentos da Vigilância Sanitária Estadual, Vânia Correia, dá dicas para que estabelecimentos como lanchonetes, restaurantes, frigoríficos e mercados sigam as orientações sanitárias para evitar mais casos da doença.

“A fiscalização da Vigilância Sanitária acontece no dia a dia. Nas orientações são apontadas duas coisas importantes: a manipulação dos alimentos e o seu acondicionamento. Quando terminar de mexer no alimento, deixá-lo coberto ou já colocá-lo na geladeira. Usar lixeira de pedal com saco e tampa. Não deixar o lixo exposto e deixar para descartar depois. Lavar as mãos antes de depois de manipular os alimentos. Além disso, os estabelecimentos devem ser telados nas portas e janelas para evitar a entrada de insetos”, orienta.

Mas os cuidados não apenas para locais que trabalham com alimentos. Em casa, as pessoas devem também se precaver redobrando os cuidados com a higiene. “Tem a questão da limpeza das mãos, antes e depois de mexer nos alimentos. E, para quem possui animais, não deixar as fezes deles expostas, devem ser recolhidas e descartadas rapidamente. Moscas podem sentar nas fezes e depois ter contato com os alimentos”, explica.

Saúde

O aumento de casos de infecções intestinais neste período já é esperado. Isso se deve ao aumento de insetos, principalmente moscas, porque elas voam, sentam em fezes, lixo e esgoto. Com isso, elas podem levar com elas agentes infecciosos, transmitindo doenças mecanicamente ou fornecem a transmissão.

Como sintomas, os pacientes podem apresentar nesses casos quadros de febre, moleza diarreia e/ou vômito. Para o tratamento é importante que a pessoa se hidrate bastante e procure um serviço médico.