20/07/2017 - 09:34

Comunidades de Matriz Africana ganham incentivo para bordados

Com os novos equipamentos será possível expandir a produção local.

Autor: Mariana Viana

O Projeto Sustentabilidade de Comunidade de Matriz Africana entregou, ontem (19), cinco kits de máquinas de costura as representantes de terreiros de Teresina. Com os novos equipamentos, elas poderão montar um ateliê e expandir a produção e mercado local de vestimentas típicas da Umbanda e Candomblé. No total, o projeto beneficiará 20 comunidades. As 15 restantes receberão as máquinas posteriormente.

Foto/Francisco Gilásio 

De acordo com Eufrazina de Iansã, integrante da Tenda de Umbanda Santa Bárbara, localizada na zona Sul de Teresina, a indumentária completa – composta por oito peças – chega a custar R$ 3 mil em lojas especializadas. “Com a nossa produção, esse valor deverá ser reduzido pela metade. Além disso, o bordado richelieu, o que nós usamos na confecção de nossas roupas, também é bastante utilizado em enxovais de noivas, de recém-nascidos, acessórios para casa, etc”, explica.

Eufrazina de Iansã acrescenta que a Tenda Santa Bárbara fica localizada em um lugar bastante carente, que necessita desse tipo de incentivo, principalmente por ser um gerador de emprego e renda. “O local onde será instalado o ateliê já está todo preparado, com todas as instalações elétricas necessárias. Basta agora apenas o curso de preparação das pessoas que irão trabalhar”, diz.

Foto/Francisco Gilásio 

O convênio para implantação do projeto foi celebrado por meio da Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest) e a Fundação Wall Ferraz, realizado entre o município e a Fundação Banco do Brasil. Desse modo, os cursos profissionalizantes das pessoas que irão trabalha nos ateliês ficarão a cargo da Fundação Wall Ferraz. Segundo o secretário Ricardo Bandeira, da Secretaria Municipal de Economia Solidária de Teresina (Semest), a iniciativa vai beneficiar diretamente cerca de 200 pessoas das comunidades integrantes do projeto.

Nessa primeira fase de entrega dos equipamentos, receberão as máquinas:  Tenda Espírita de Umbanda Pai Joaquim D’angola, representada pelo Pai Willame de Ogum; Ilê Oya Tadê, na pessoa do Pai Adilton; Tenda São Francisco das Chagas, da Mãe Fátima de Oxossi; Tabernáculo de Iansã, representada pela Mãe Rutinéia e a Tenda Espírita de Umbanda Santa Bárbara, da Mãe Eufrazina.

Foto/Francisco Gilásio 

Os kits para montagem do ateliê são formados por duas máquinas semi-industriais de costura reta e zig zag, uma máquina de costura overloque, uma máquina de costura comum com pedal elétrico, uma máquina de bordado eletrônico e uma mesa de corte e costura.


Fonte: Diário do Povo