Fonseca Neto
03/03/2017 - 10:56

O aniquilamento alienado de uma geração de jovens é a mais insultuosa faceta da presente vitória neoliberal golpista em curso no Brasil. 

Juventude recolhida, dada ao desenfreio consumista, e, pior, desconfiada de valores civilizatórios essenciais maturados em séculos, daí que propensa a namorar as diversas linguagens e narrativas reacionárias, nas raias fascistas que a própria agressão neoliberal faz repontar por todo lado. No contraponto dessa afirmação, tenho que a juventude é expressão de uma espécie de economia das trocas ardentes, intencionada em refundar o mundo de seu tempo em favor de realidades outras. Sendo toda fala (frei Leonardo) a fala de um lugar, esta minha vem dos meus tempos e lugares de juventude, a saber, sob uma ditadura, e, depois, agora, a convivência no meio universitário. Juventude, uma percepção de mentes e corpos, irredentos, rechaçando imposturas, sobretudo a opressão política, também as danações morais de imoralíssimos moralistas. 

O destroçamento neoliberal é um cruel revés em termos da construção ética como fundamento e equidade da vida social. Esse revés abatendo a juventude, eis uma tragédia a superar – e como é oportuna a releitura da Oração aos Moços, de Ruy, palpitando o Brasil de 97 anos atrás. Nas linhas seguintes, algumas notas indiciárias da catástrofe que devasta o Brasil, reino ferido por uma máquina aniquiladora de pontes em direção a um futuro esperançoso... 

Sobre a vida: a narrativa corrente sugere ser ela efêmera; jovens, consumam-na, antes a condição hedônica que a edênica...

A alteridade: todos são ruins e falsos e não adianta prova em contrário; jovens, o mundo é dos espertos, seja vc um deles...

Enriquecer: o modo certo de obter dignidade; jovens, enriqueçam. Por meios dignos? Enriqueçam...

Ética, solidariedade, igualdade, amor fraterno, justiça, compaixão? Jovens, isso é pura tolice, conversa de abestado, bestagem de romântico...

Liberdade: é o tamanho do que se tem, e possua, privadamente; jovens, tenham dinheiro para gastar e terão a liberdade. Sede ricos...

Democracia: conversa de gente lá de longe; jovens, isso é impossível no Brasil porque o povo – aquele outro – não sabe votar... Viva a pós-democracia! 

Lei: o que deve valer para outrem; jovens, sejam astuciosos, o melhor da lei está em suas brechas...

Política e partido: meio e forma de enriquecimento fácil de meliantes da mentira; jovens, vale a pena “investir” nela, desse jeito e forma. É assim mesmo...

Direito: conjunto de noções e tecnicalidades para entrar no Serviço Público; jovens, decorem textos de lei e ganhem um cargo público estável. É o céu na terra...

República: ela são suas coisas, propriedades, inclusive seu cargo estatal; jovens, privatizem tudo, alienem sua vida, alegrias, paixões, o cargo “público”, a morte...

Religião: enriquecer, ter sempre mais, aproxima de Deus; jovens, a pobreza é vingança de Deus para quem não trabalha... Enriqueçam, pequem, deus-mercado perdoará.

Natureza: materialidade inesgotável ao redor; jovens, usem-na, ela se recria infinitamente...

A nação, o país, a pátria ou terra natal: metáforas de inservível história e de diversas literaturas; jovens, sejam consumidores globais, cocomaquidônicos, e assim “cidadãos”...  

Corrupção: se “todos” são corrompíveis...; jovens, corrupção no Brasil é natural e não tenham vergonha de ser desonestos, o doutor Ruy Barbosa já era...

Empresários: homens indispensáveis, puros, patriotas; jovens, tornem-se empreendedores, tributo é crime, sede vivos e não o paguem. Tirem tudo do Estado... 

Família, ancestrais: base da organização social de há muito; jovens, a família fortalece a condição da vida privada radical, sede mais familiar que sociável...

Conservação e revolução: tensão insistente e fecundante das vésperas do porvir; jovens, até sonhem, mas o mundo não melhora. Envelhecerão e se tornarão retrôs...   

Corpo: o barro energizado pelo sopro divinal fecundado em evas; jovens, gastem seus corpos inexauríveis, em doses máximas de prazeres, luxares, exibires. Tudo como se fora a última libação... 

A onda neoliberal avassaladora que devasta o Brasil vire logo uma maré secante. E cesse a consumação de vidas plenas no altar do mercado feito um deus que rouba o futuro de milhões de jovens.